rss

Colunas

100 dias com Tarso: o Rio Grande do Sul em ritmo acelerado

O governo Tarso Genro tem pressa. Na pesquisa encomendada pelo Grupo RBS sobre os 100 dias do novo governo gaúcho, divulgada neste domingo, Tarso Genro obteve 80% de aprovação para sua maneira de governar. Seu governo teve nota 6,9, a mesma da presidenta Dilma Rousseff, e 79% dos gaúchos disseram que confiam em Tarso. O ritmo acelerado das ações políticas, imposto pelo novo governador, explica boa parte dos números de aprovação no Ibope.

Porto Alegre terá uma prefeita

Saiu neste final de semana os números de uma primeira pesquisa eleitoral sobre as eleições de 2012 em Porto Alegre. Realizada pelo Instituto Methodus, a pesquisa entrevistou 600 eleitores perguntando em quem votariam se a eleição fosse hoje. Foram divulgadas as respostas para quatro cenários. Em todos, a deputada Manuela D’Avila fica em primeiro lugar. Ou seja, se a eleição fosse hoje, Manuela seria eleita prefeita.

100 dias de Tarso diferentes de Dilma

Os primeiros cem dias do governador gaúcho Tarso Genro vêm revelando um governo que busca ser diferente de todos os que o antecederam. Primeiro, porque Tarso não se mostra disposto a nenhuma guinada nos rumos do Estado e parece estar guiado por uma espécie de bom senso de esquerda. Segundo porque, pacientemente, o novo governo […]

Políticos, cuidado! Olhem para o Oriente Médio!

Os políticos brasileiros, acostumados a décadas de patrimonialismo e clientelismo, estão abusando e podem ser varridos do mapa também aqui, como no Oriente Médio.

Quando uma marca estreita

Não gostei da marca do governo Dilma Rousseff. Também não gostei muito do slogan. Mas o símbolo mais negativo é a marca. Conservadora, fria, sisuda. Mais parece uma marca tucana. Fui pesquisar na rede e encontrei a assinatura eletrônica. Ela diz tudo.

Um novo Rio Grande pode estar nascendo

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, tem insistido em variados pronunciamentos em três eixos para o seu governo: 1) a transparência, como regra de atuação; 2) o combate à miséria, como objetivo permanente; 3) o crescimento econômico, como instrumento de geração de novas oportunidades e desenvolvimento.

Transição no pampa é terreno minado

Até a semana do Natal, tudo eram flores na sucessão gaúcha. A governadora Yeda Crusius, no entanto, parece estar repassando ao novo governador um Estado embalado num imenso cavalo de Troia. Seu sucessor, Tarso Genro, vinha evitando qualquer crítica à governadora, mas esta semana mudou o tom e veio a público dizer que “não há mar róseo pela frente”. E prometeu, para meados de janeiro, um diagnóstico sobre a situação financeira do Estado.

Tarso assume com os ventos a favor

A sorte parece estar conspirando para Tarso Genro (PT), governador que assume a condução do Rio Grande do Sul dia 1º de janeiro. No sábado 18, o jornal Correio do Povo destacou: “Tarso receberá governo com R$ 3,6 bi em caixa”. A governadora Yeda Crusius fez questão de dizer que esse é o maior volume de recursos deixados para o governo seguinte, desde a criação de um “caixa único” no Estado. No domingo, a boa notícia foi para o índice de desemprego na região metropolitana de Porto Alegre. O Zero Hora deu a manchete: “Pleno emprego muda relações de trabalho”. A taxa de desemprego de 6,1% apurada em outubro é a mais baixa desde 1992 e a menor entre as seis principais regiões metropolitanas.

A formação de um bom governo

Estive lendo o texto do nosso editor, Celso Marcondes, sobre a formação do ministério de Dilma. Num contraponto à grande mídia, que especulou sobre a possibilidade de mudanças radicais, Celso afirma que o ministério de Dilma tem a cara – óbvia – da continuidade.