1/mar/2014, 13h14min

Bambas da Orgia encerra primeira noite de desfiles no Porto Seco

Bambas da Orgia | Foto: Joel Vargas

Bambas da Orgia | Foto: Joel Vargas

Roberta Obelheiro e Vitor Hugo Paz
Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Porto Alegre

A atual campeã do Carnaval de Porto Alegre, a Bambas da Orgia encerrou a primeira noite de desfiles do Complexo Cultural do Porto Seco, já no início da manhã deste sábado, 01. Cantando “Moacyr Scliar, o menino do Bom Fim”, a escola apresentou a vida e os contos do imortal gaúcho, como forma de reconhecer e valorizar o trabalho do médico e escritor que morreu aos 73 anos, em 2011.

As arquibancadas permaneceram lotadas até o final do desfile, e o presidente da escola, Cleomar Rosa, destacou o desejo e a confiança no bicampeonato. “É um imenso prazer trazer cultura para o Carnaval. Ele é imortal e merece, porque é uma das figuras mais importantes da história da nossa cidade”, afirmou.

A águia, símbolo da escola de samba mais antiga da Capital, entrou na avenida a frente de 1,7 mil integrantes, cinco carros alegóricos e 20 alas. A Sociedade Beneficente Bambas da Orgia foi fundada em 6 de maio de 1940, por um grupo de ex-integrantes dos Turunas na rua Santana. Seu primeiro desfile ocorreu com 13 componentes. Em 1942, houve uma dissidência entre alguns fundadores, o que ocasionou a fundação da Sociedade Nós os Democratas. A escola é detentora de troféus especiais por suas conquistas: Troféu Zé Pereira, Troféu Vicente Rao e o Troféu Aimoré Silva.

Estado Maior da Restinga | Foto: Evandro de Oliveira

Estado Maior da Restinga | Foto: Evandro de Oliveira

Estado Maior da Restinga faz homenagem a Elis Regina

O penúltimo desfile da primeira noite do Grupo Especial do Carnaval foi definido pelo presidente da escola, Robson Dias, como perfeito. “Foi empolgante, dentro do esperado”. O Estado Maior da Restinga entrou no sambódromo pouco antes das quatro da manhã com o enredo “És fascinação! Elis Regina, rainha nos palcos, seu cantar é pura emoção”. A homenagem à cantora gaúcha foi desenvolvida pela Comissão de Carnaval da “Tinga” que relembrou as canções mais famosas da artista.

Com a participação da rainha do carnaval, Brennda Martins Protásio, a “Tinga” entrou na avenida com dois mil integrantes, quatro carros (És fascinação, Elis no Rio de Janeiro, Elis entre amigos e Elis a grande voz do Brasil), um tripé (Do rádio ao palco) e um total de 18 alas. A escola concluiu o desfile um pouco antes das cinco da manhã, dentro do tempo previsto.

A Sociedade Recreativa e Beneficente Estado Maior da Restinga foi fundada em 20 de março de 1977. Desfilou pela primeira vez em 1979 e conquistou seu primeiro título em 1982. Sua quadra se localiza no bairro Restinga. Inovou o carnaval da capital gaúcha em 1999 ao contratar Laíla e Xangai, consagrados na escola de samba carioca Beija-Flor.

União da Vila do IAPI | Foto: Joel Vargas

União da Vila do IAPI | Foto: Joel Vargas

União da Vila do IAPI trouxe o Natal para o desfile

O enredo da União da Vila do IAPI, a quarta escola a desfilar na primeira noite do Grupo Especial, no Complexo Cultural do Porto Seco, homenageou o município de Canela, um dos mais procurados pontos de turismo no Rio Grande do Sul. Para apresentar a “Suíça brasileira”, a escola trouxe o clima do Natal para a avenida, já que a data é uma das importantes para a cidade, com papais e mamães noéis caindo no samba. Para mexer ainda mais com os sentidos dos foliões, a escola perfumou a avenida com cheiro de canela, mesmo sabor das balas que os integrantes atiraravam para as arquibancadas.

Tanta inovação trouxe confiança ao presidente da escola, Jorge Luiz Sodré dos Santos, que torce para que a escola conquiste sua primeira vitória no Porto Seco. “Estamos muito felizes, com o sentimento de missão cumprida. Trouxemos uma bela história, uma homenagem que Canela merece. E para nos tirar esse título, vão ter que passar muito forte”, afirmou, ao final do desfile.

Quem também comemorava era o prefeito de Canela, Cléo Port, que desfilou no último carro, que representava a Catedral de Pedra. Com a primeira-dama Cristina Moura, a filha Gabriela e a vice-prefeita Carmem Seidt, o prefeito elogiou o estudo que foi feito da história da cidade. “Foi nossa primeira vez desfilando e estamos muito emocionados. Ver as arquibancadas cantando a nossa cidade foi muito especial”, comentou.

Com o enredo “Nos Trilhos da História! Canela, a Suíça Brasileira!”, os carnavalescos Sérgio Guerra e Renan Delavega descreveram na avenida as belezas e o charme da cidade serrana que está completando 70 anos. Para contar a história, desde a fundação de Canela e a colonização dos tropeiros, até os dias atuais, os 1,8 mil componentes da escola se apresentaram em 22 alas, cinco carros alegóricos e dois tripés.

A União da Vila do IAPI foi fundada em 21 de março de 1980 na Vila do IAPI e suas cores são o azul, o vermelho e o branco. O símbolo da escola é uma locomotiva de um trem. Inicialmente, era um pequeno bloco que desfilava nas ruas do bairro IAPI composto pelos seus fundadores e pela comunidade. O bloco era chamado de Bloco do Bolinha. Atualmente, é presidida por Jorge Sodré e sua sede fica no bairro Sarandi. A escola jamais venceu o Grupo Especial e suas melhores colocações foram alcançadas com os vice-campeonatos em 1991 e 2004.

Unidos da Vila Isabel | Foto: Evandro Oliveira

Unidos da Vila Isabel | Foto: Evandro Oliveira

Unidos de Vila Isabel mostra união da comunidade em desfile

O resgate do que deu errado no carnaval do ano passado foi a proposta da Unidos de Vila Isabel com o desfile que contou “A história das roupas na passarela da alegria!”, enfocando o simbolismo contido nas vestimentas ao longo da história. O tema, de Sérgio Peixoto, desenvolvido pelo carnavalesco Sandro Rauly, mostrou cronologicamente como as roupas impactaram no desenvolvimento da humanidade, desde o tempo em que os seres humanos viviam em cavernas até as roupas futuristas.

O desfile contou com a participação de 1,5 mil componentes, quatro carros alegóricos (O jardim do Éden Visões do Paraíso, Evoluindo como a humanidade, Criações-necessidades – modismos, na passarela da alegria ou no espaço sideral a roupa esta presente com a Vila Isabel), um tripé (O livro sagrado) e 19 alas.
O presidente da escola, Cleber Eduardo dos Santos Tavares, se mostrou satisfeito com a apresentação que durou 65 minutos. ” Agradeço a comunidade que se envolveu e ao público que entendeu a nossa proposta de resgatar o que não deu certo em 2013″, disse.

A escola foi fundada em 7 de abril de 1979. Até 1982, a entidade participava do desfile em Porto Alegre como uma banda. É a entidade fora da Capital que mais vezes participou da categoria especial, embora nunca tenha sido campeã da mesma. Oriunda da Vila Isabel, em Viamão, tem seu símbolo caracterizado por uma pomba; suas cores são o azul escuro, amarelo a branco.

Academia de Samba Puro | Foto: Joel Vargas

Academia de Samba Puro | Foto: Joel Vargas

Cantando as Marias, Samba Puro leva inclusão para a avenida

A Academia de Samba Puro voltou a desfilar no Grupo Especial do Carnaval de Porto Alegre na primeira noite dos desfiles. Segunda escola a atravessar a pista do Porto Seco, a escola do Morro Maria da Conceição homenageou as mulheres, apresentando em seu desfile Marias de todos os tempos e tipos, como a rainha da França Maria Antonieta, a cantora Maria Bethânia e Maria da Penha, que inspirou a lei de mesmo nome.

Uma das homenageadas no enredo, a ministra Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos, também desfilou pela escola, que levou a inclusão para a avenida. A ala Justiça para Todos foi formada por deficientes visuais e acompanhantes e o quarto e último carro, chamado Bonde das Diversidades, trouxe a comunidade GLBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) com a bandeira do arco-íris. A rainha Deficiente Visual do Carnaval do ano passado, Josiane França, desfilou na ala, acompanhada da prima Ana Claúdia, e ao lado da filha Gieniffer, 14 anos, que acompanhava a fisioterapeuta Bianka Raubert. “A nossa ala de deficientes visuais quer mostrar para a sociedade que nós também gostamos de carnaval, que somos felizes. A gente não precisa ver para sentir essa energia”, explicaram Josiane e Bianka.

Cesar Augusto Rosa de Souza, o Mestre Mé, diretor de bateria destacou a evolução da escola, que quis voltar para o Grupo Especial mostrando que tem todas as condições para continuar entre as melhores. “Nós descemos do morro e mostramos o que a nossa comunidade tem de bom, que é a nossa cadência, a nossa garra e união”, afirmou. Em 2013, a Samba Puro foi classificada no Grupo de Acesso e passou a integrar o Grupo Especial. Neste ano, desfilou com quatro carros alegóricos, 23 alas e cerca de 1,8 mil componentes, com o enredo “Sou Maria e trago outras Marias para o meu Carnaval”, desenvolvido pelo carnavalesco Guaracy Feijó.

A Escola foi Fundada em 30 de abril de 1984 por um grupo de moradores do Morro da Maria da Conceição, entre eles alguns ex-componentes da Academia de Samba Praiana. As cores escolhidas para a escola foram o azul, amarelo e branco. O símbolo é um pandeiro sobre uma mão, escolhido para ser a representação do verdadeiro samba de raiz, já que a entidade surgiu com esse propósito. O atual presidente é Mário Jefferson.

Imperatriz Leopoldinense | Foto: Anselmo Cunha

Imperatriz Leopoldinense | Foto: Anselmo Cunha

Imperatriz Leopoldense passou com garra no Porto Seco

O diretor de Harmonia da escola Imperatriz Leopoldense, Mauricio Trindade, acredita na garra da comunidade para superar os problemas ocorridos durante desfile que abriu a primeira noite do Carnaval, no Porto Seco, nesta sexta-feira, 28. A estreante no Grupo Especial teve um tripé e um carro quebrados, que não puderam entrar na avenida, além de duas alas que não desfilaram e uma que entrou no sambódromo com roupas normais, pois as fantasias não ficaram prontas a tempo.

As quinze alas, dois carros e aproximadamente mil pessoas mostraram a tradição e a cultura milenar chinesas. Com o enredo “Milênio de Tradições, História e Cultura – A Imperatriz Celebra a China”, a escola do bairro Feitoria, de São Leopoldo, abordou a dinastia chinesa e também relíquias e histórias do que a China levou para o mundo. O tema teve como inspiração o filme “O Último Imperador”.

A escola foi fundada em abril de 1995, usa as cores vermelho e branco e tem leões como símbolos. Seu presidente é Raul Senna.

A apuração das notas será na terça-feira (4), a partir das 13h, no Porto Seco, e terá entrada franca. No próximo sábado (8) ocorre o Desfile das Campeãs, também com ingresso grátis.


Comentar

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.