12/mai/2013, 5h52min

A questão da vinda dos médicos cubanos para o Brasil

Por Pedro Saraiva

Sou médico e gostaria de opinar sobre a gritaria em relação à vinda dos médicos cubanos ao Brasil.

Bom, como opinião inteligente se constrói com o contraditório, vou tentar levantar aqui algumas informações sobre a vinda de médicos cubanos para regiões pobres do Brasil que ainda não vi serem abordadas.

- O principal motivo de reclamação dos médicos, da imprensa e do CFM seria uma suposta validação automática dos diplomas destes médicos cubanos, coisa que em momento algum foi afirmado por qualquer membro do governo. Pelo contrário, o próprio ministro da saúde, Alexandre Padilha, já disse que concorda que a contratação de médicos estrangeiros deve seguir critérios de qualidade e responsabilidade profissional. Portanto, o governo não anunciou que trará médicos cubanos indiscriminadamente para o país. Isto é uma interpretação desonesta.

- Acho estranho o governo ter falado em atrair médicos cubanos, portugueses e espanhóis, e a gritaria ser somente em relação aos médicos cubanos. Será que somente os médicos cubanos precisam revalidar diploma? Sou médico e vivo em Portugal, posso garantir que nos últimos anos conheci médicos portugueses e espanhóis que tinham nível técnico de sofrível para terrível. E olha que segundo a OMS, Espanha e Portugal têm, respectivamente, o 6º e o 11º melhores sistemas de saúde do mundo (não tarda a Troika dar um jeito nesse excesso de qualidade). Profissional ruim há em todos os lugares e profissões. Do jeito que o discurso está focado nos médicos de Cuba, parece que o problema real não é bem a revalidação do diploma, mas sim puro preconceito.

- Portugal já importa médicos cubanos desde 2009. Aqui também há dificuldade de convencer os médicos a irem trabalhar em regiões mais longínquas, afastadas dos grandes centros. Os cubanos vieram estimulados pelo governo, fizeram prova e foram aprovados em grande maioria (mais à frente vou dar maiores detalhes deste fato). A população aprovou a vinda dos cubanos, e em 2012, sob pressão popular, o governo português renovou a parceria, com amplo apoio dos pacientes. Portanto, um dos países com melhores resultados na área de saúde do mundo importa médicos cubanos e a população aprova o seu trabalho.

- Acho que é ponto pacífico para todos que médicos estrangeiro tenham que ser submetidos a provas aí no Brasil. Não faz sentido importar profissionais de baixa qualidade. Como já disse, o próprio ministro da saúde diz concordar com isso. Eu mesmo fui submetido a 5 provas aqui em Portugal para poder validar meu título de especialista. As minhas provas foram destinadas a testar meus conhecimentos na área em que iria atuar, que no caso é Nefrologia. Os cubanos que vieram trabalhar em Medicina de família também foram submetidos a provas, para que o governo tivesse o mínimo de controle sobre a sua qualidade.

Pois bem, na última leva, 60 médicos cubanos prestaram exame e 44 foram aprovados (73,3%). Fui procurar dados sobre o Revalida, exame brasileiro para médicos estrangeiros e descobri que no ano de 2012, de 182 médicos cubanos inscritos, apenas 20 foram aprovados (10,9%). Há algo de estranho em tamanha dissociação. Será que estamos avaliando corretamente os médicos estrangeiros?

Seria bem interessante que os nossos médicos se submetessem a este exame ao final do curso de medicina. Não seria justo que os médicos brasileiros também só fossem autorizados a exercer medicina se passassem no Valida? Se a preocupação é com a qualidade do profissional que vai ser lançado no mercado de trabalho, o que importa se ele foi formado no Brasil, em Cuba ou China? O CFM se diz tão preocupado com a qualidade do médico cubano, mas não faz nada contra o grande negócio que se tornaram as faculdades caça-níqueis de Medicina. No Brasil existe um exército de médicos de qualidade pavorosa. Gente que não sabe a diferença entre esôfago e traqueia, como eu já pude bem atestar. Por que tanto temor em relação à qualidade dos estrangeiros e tanta complacência com os brasileiros?

- Em relação a este exame de validação do diploma para estrangeiros, abro um parênteses para contar uma situação que presenciei quando ainda era acadêmico de medicina, lá no Hospital do Fundão da UFRJ.

Um rapaz, se não me engano brasileiro, tinha feito seu curso de medicina na Bolívia e havia retornado ao país para exercer sua profissão. Como era de se esperar, o rapaz foi submetido a um exame, que eu acredito ser o Revalida (na época realmente não procurei me informar). O fato é que a prova prática foi na enfermaria que eu estava estagiando e por isso pude acompanhar parte da avaliação. Dois fatos me chamaram a atenção, o primeiro é a grande má vontade dos componentes da banca com o candidato. Não tenho dúvidas que ele já havia sido prejulgado antes da prova ter sido iniciada. Outro fato foi o tipo de perguntas que fizeram. Lembro bem que as perguntas feitas para o rapaz eram bem mais difíceis que aquelas que nos faziam nas nossas provam. Lembro deles terem pedidos informações sobre detalhes anatômicos do pescoço que só interessam a cirurgiões de cabeça e pescoço. O sujeito que vai ser médico de família, não tem que saber todos os nervos e vasos que passam ao lado da laringe e da tireoide. O cara tem que saber tratar diarreia, verminose, hipertensão, diabetes e colesterol alto. Soube dias depois que o rapaz tinha sido reprovado.

Não sei se todas as provas do Revalida são assim, pois só assisti a uma, e mesmo assim parcialmente. Mas é muito estranho os médicos cubanos terem alta taxa de aprovação em Portugal e pouquíssimos passarem no Brasil. Outro número que chama a atenção é o fato de mais de 10% dos médicos em atividade em Portugal serem estrangeiros. Na Inglaterra são 40%. No Brasil esse número é menor que 1%. E vou logo avisando, meu salário aqui não é maior do que dos meus colegas que ficaram no Brasil.

- Até agora não vi nem o CFM nem a imprensa irem lá nas áreas mais carentes do Brasil perguntar o que a população sem acesso à saúde acha de virem 6000 médicos cubanos para atendê-los. Será que é melhor ficar sem médico do que ter médicos cubanos? É o óbvio ululante que o ideal seria criar condições para que médicos brasileiros se sentissem estimulados a ir trabalhar no interior. Mas em um país das dimensões do Brasil e com a responsabilidade de tocar a medicina básica pulverizada nas mãos de centenas de prefeitos, isso não vai ocorrer de uma hora para outra. Na verdade, o governo até lançou nos últimos anos o Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab), que oferece salários mensais de R$ 8 mil e pontos na progressão de carreira para os médicos que vão para as periferias. O problema é que até hoje só 4 mil médicos aceitaram participar do programa. Não é só salário, faltam condições de trabalho. O que fazemos então? Vamos pedir para os mais pobres aguentarem mais alguns anos até alguém conseguir transformar o SUS naquilo que todos desejam? Vira lá para a criança com diarreia ou para a mãe grávida sem pré-natal e diz para ela segurar as pontas sem médico, porque os médicos do sul e sudeste do Brasil, que não querem ir para o interior, acham que essa história de trazer médico cubano vai desvalorizar a medicina do Brasil.

- É bom lembrar que Cuba exporta médicos para mais de 70 países. Os cubanos estão acostumados e aceitam trabalhar em condições muito inferiores. Aliás, é nisso que eles são bons. Eles fazem medicina preventiva em massa, que é muito mais barata, e com grandes resultados. Durante o terremoto do Haiti, quem evitou uma catástrofe ainda maior foram os médicos cubanos. Em poucas semanas, os médicos dos países ricos deram no pé e deixaram centenas de milhares de pessoas sem auxílio médico. Se não fosse Cuba e seus médicos, haveria uma tragédia humanitária de proporções dantescas. Até o New England Journal of Medicine, a revista mais respeitada de medicina do mundo, fez há poucos meses um artigo sobre a medicina em Cuba. O destaque vai exatamente para a capacidade do país em fazer medicina de qualidade com recursos baixíssimos (http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMp1215226).

- Com muito menos recursos, a medicina de Cuba dá um banho em resultados na medicina brasileira. É no mínimo uma grande arrogância achar que os médicos cubanos não estão preparados para praticar medicina básica aqui no Brasil. O CFM diz que a medicina de Cuba é de má qualidade, mas não explica por que a saúde dos cubanos, com muito menos recursos tecnológicos e com uma suposta inferioridade qualitativa, tem índices de saúde infinitamente melhores que a do Brasil e semelhantes à avançada medicina americana (dados da OMS).

- Agora, ninguém tem que ir cobrar do médico cubano que ele saiba fazer cirurgia de válvula cardíaca ou que seja mestre em dar laudos de ressonância magnética. Eles não vêm para cá para trabalhar em medicina nuclear ou para fazer hemodiálises nos pacientes. Medicina altamente tecnológica e ultra especializada não diminui mortalidade infantil, não diminui mortalidade materna, não previne verminose, não conscientiza a população em relação a cuidados de saúde, não trata diarreia de criança, não aumenta cobertura vacinal, nem atua na área de prevenção. É isso que parece não entrar na cabeça de médicos que são formados para serem superespecialistas, de forma a suprir a necessidade uma medicina privada e altamente tecnológica. Atenção! O governo quer trazer médicos para tratar diarreia e desidratação! Não é preciso grande estrutura para fazer o mínimo. Essa população mais pobre não tem o mínimo!

Que venham os médicos cubanos, que eles façam o Revalida, mas que eles sejam avaliados em relação àquilo que se espera deles. Se os médicos ricos do sul maravilha não querem ir para o interior, que continuem lutando por melhores condições de trabalho, que cobrem dos governos em todas as esferas, não só da Federal, melhores condições de carreira, mas que ao menos se sensibilizem com aqueles que não podem esperar anos pela mudança do sistema, e aceitem de bom grado os colegas estrangeiros que se dispõem a vir aqui salvar vidas.

Infelizmente, até a classe médica aderiu ao ativismo de Facebook. O cara lê a Veja ou O Globo, se revolta com o governo, vai no Facebook, repete meia dúzia de clichês ou frases feitas e sente que já exerceu sua cidadania. Enquanto isso, a população carente, que nem sabe o que é Facebook morre à míngua  sem atendimento médico brasileiro ou cubano.

Pedro Saraiva é médico

Tags: , , , , , , , ,


58 comentários para “A questão da vinda dos médicos cubanos para o Brasil”

  1. Como é bom ler um artigo com bons argumentos.

  2. Franklin Cunha disse:

    Sou médico e gostaria de dizer ao colega Pedro Saraiva que seu texto foi, até agora, o mais lúcido, leal, real e incisivo de tudo que lí sobre a vinda de médicos cubanos. As desonestas, preconceituosas e falazes notas do CREMERS, do SIMERS e do CFM,
    as quais acusaram de ” ideológica e demagógica ” a contratação dos colegas de Cuba, são , estas sim, ideológicas ,corporativas e oriundas de uma categoria profissional que há muito tempo se alienou, ignorou, desprezou o sofrido e pobre povo brasileiro. Basta ver de que lado se postou essa mesma categoria nos 21 anos de ditadura genocida que emasculou a crítica social, deformou a mente de uma geração de jovens e entregou a assistência médica a empresas de medicina de pré-paga.
    Parabéns Dr. Pedro, o senhor faz jus ao título de médico, de cidadão consciente e de brasileiro autêntico.
    Grande abraço
    Franklin Cunha
    CREMERS 3254
    TEGO 256/69

  3. Dejalme Andreoli disse:

    Muito bom o texto. É o testemunho de quem conhece o assunto e tem condições de mostras a verdade. Aquela verdade que os nosso meios de comunicação escondem em suas matérias.

  4. LUIZ FELIPE disse:

    O fato é que FHC e LULA fugiram da raia, por medo do Leão !

    FHC , LULA e o LEÃO. O fato é que FHC e LULA, ao sentirem a possível presença do Leão no cenário eleitoral de 2014, embora ambos estando em plena forma física e mental, e cheios de vontade de continuarem na ativa, enquanto candidatos naturais dos seus respectivos partidos, de repente, passaram a desconversar, a buscar a rota de fuga e a cortar couve como se diz aqui no interiror de SP. Um escondendo-se atrás do Aécio e o outro atrás da Dilma, e empurrando estes à arena de 2014. Até parece aquela história dos dois comprades, um sofista e o outro bravateiro, que para contar vantagens aos seus pares e ouvintes, resolveram ir à África, juntos, caçar Leão. E lá, nas savanas, armados e cheios de si, dispensaram o guia e bravatearam: agora é nós na fita e o Leão. É nós ou ele. E não é que de repente o Leão saltou diante dos mesmos, e daí foi aquele Deus nos acuda. Ambos largaram as espingardas e passaram a correr e o Leão atrás dos mesmos. O que corria mais atrás e mais perto de ser alcançado pelo Leão logo, com a língua já de fora, gritou ao que corria na frente: compadre, não precisa correr tanto assim, pois está cientificamente provado que o Leão corre mais do que nós. E em assim sendo ele logo nos alcançará. Daí o que corria na frente disparou: é compadre, mas está cientificamente provado tb que o Leão devora apenas uma presa de cada vez. O fato é que FHC, LULA e o LEÃO têm pegadas, e a hora é agora, desse confronto ou dessa união, até porque o resto, me desculpem a franqueza, são ainda apenas aprendizes de “feiticeiros” , respeitosamente.

  5. Celso disse:

    reserva de mercado e coisa que nunca cheira bem…
    lembro de comentário que fiz a respeito dos altos índices de reprovação na OAB, concluindo que muitos daqueles bem poderiam exercer advocacia “feijão com arroz” com ética e eficiência; por outro lado alguns, excelentes advogados, sao verdadeiros canalhas…
    dai a necessidade de se colocar cada um no seu lugar, e uma fiscalização eficiente do órgão de classe; mas nao e o que acontece… o corporativismo sempre fala mais alto!
    parabens ao autor, pois revela situação bastante similar, ou seja, nao e preciso um grande profissional para ser medico de família, basta se colocar no devido lugar e ter vontade de trabalhar com ética e dedicação…
    e que se preoce mais o CFM com os canalhas, sempre protegidos pelo coorativismo, esses sim um perigo real para o bom nome da instituição e seus profissionais…

  6. Verô disse:

    O melhor texto que li sobre o assunto até agora. Muito obrigada!

  7. Zé Bronquinha disse:

    Posição clara, lúcida e objetiva, que por certa não será lida e se lida não contará com a concordância das entidades corporativistas que só olham para seu umbigo. Abaixo o corporativismo fachista de todas as categorias profissionais e sociais.

  8. Augusto disse:

    Muito bom o artigo.
    Minha sugestão é que todos os médicos formados em universidades públicas tivessem que fazer sua residência no interior ou ficando à disposição do poder público durante determinado período. Seria uma forma do governo ser restituído parcialmente do alto investimento. Quem não quisesse seguir esta linha, que procurasse estudar em uma universidade privada.

  9. Mihaelo disse:

    Excelente artigo. É absurdo que médicos brasileiros se neguem a trabalhar no interior do país, mesmo as prefeituras oferecendo salários nababescos. Qual trabalhador assalariado, mesmo com nível superior, que ganha 13 mil reais? 90% dos brasileiros ganham no máximo até 10 salários mínimos! Ora, tanto faz se o médico é estrangeiro ou brasileiro formado no exterior. Só em São Paulo o índice de erros médicos triplicou! O que é um fato natural, já que o ensino brasileiro em geral é de péssima qualidade( com a exceção das universidades federais das grandes capitais do sul/sudeste e das estaduais paulistas) e assim o atendimento é precário na maioria dos hospitais e postos de saúde do país. Deixar milões de pessoas sem atendimento médico por motivos ideológicos é um crime hediondo. Teria que manter em prisão perpétua tais criminosos!!!!

  10. joel disse:

    “Os cubanos estão acostumados e aceitam trabalhar em condições muito inferiores. Aliás, é nisso que eles são bons. Eles fazem medicina preventiva em massa, que é muito mais barata, e com grandes resultados.”
    E se avinda destes médicos aviltarem os preços cobrados na consulta? E se esses profissionais desenvolverem trabalhos com essas comunidades pobres? E se desenvolverem tratamentos a baixo custo para doenças que matam milhares? como ficam nossos bem nascidos doutores que chegam a pagar R$ 80.000,00 para passar em um vestibular em uma faculdade mequetrefe? Como vão reaver seus investimentos sem ter pra quem receitar as drogas que os laboratórios que patrocinam suas viagens e congressos no exterior lhes mandam entupir seus pacientes? DEUS NOS LIVRE DESTES MÉDICOS QUE ATÉ MATARAM O CAMARADA CHAVES…

  11. Livio Claudino disse:

    Vale a pena ler um texto bem argumentado. A articulação dos dados e a discussão estão muito boas.
    Seria interessante poder dar maior visibilidade a esse artigo!
    Sou do Norte (Pará… hoje moro no Sul) e vi a peregrinação de mulheres em busca dos médicos cubanos no final da década passada. Me lembro dos relatos, e da satisfação em relação ao atendimento.
    Trabalhei 8 anos em unidades de saúde, como técnico administrativo (em Marabá-Pa), e percebi como a grande maioria dos médicos se sentiam e eram tratados como semi-deuses, dignos de oferendas (presentinhos) e orações, pois se sentiam mais especiais que curandeiros. Esqueciam que praticavam apenas medicina.
    É claro que abala a estrutura confortável que se construiu no Brasil em torno desses profissionais. No entanto, é claro o posicionamento ideológico que se descortina!

  12. carlos roberto winckler disse:

    Excelente artigo. Parabéns!

  13. Oscar Paim disse:

    DEVEMOS IMPORTAR TAMBÉM POLÍTICOS CUBANOS, POLICIAIS CUBANOS, ADVOGADOS CUBANOS, AS CARÊNCIAS SÃO MUITAS, ALIÁS PORQUE NÃO VAMOS MORAR EM CUBA??

  14. Roney disse:

    Realmente é um texto que se deve ler, com diretriz imparcial e conhecimento de causa, o Dr. Pedro Saraiva mostrou um ponto de vista diferente do que vem sendo divulgado nas redes sociais.

  15. Felipe X disse:

    Não sou contra a vinda dos cubanos, mas uma revalidação é válida para médicos de qualquer origem. Brasileiros não fazem essa prova mas seus cursos ao menos deviam ser avaliados, por exemplo pelo MEC. Esse tipo de processo é comum para trabalhadores de diversas áreas mundo afora.

  16. Ceres Fagundes Pascal disse:

    Parabéns, Pedro Saraiva, pela sua lucidez, por sua honestidade, por sua elucidação do problema com a clareza e competência inigualáveis. É obvio que sua explanação está corretíssima, e qualquer pessoa com um mínimo de informação e inteligência sabe qual a causa da contestação de parte da classe médica, aliás, conhecida suas debilidades por toda a população exposta a seus cuidados sem opção de escolha.

  17. Radson Calmon disse:

    Gostei do artigo sei que a situação ta difícil e que a população esta sofrendo, mas o que se pode fazer se a maioria dos médicos não querem sair de suas cidades desenvolvidas com modernidade e acomidade. Mas aqui no Brasil até que se prove o contrario a maioria da população mesmo a mais carente não vai em postinho de unidade básica e sim em unidades de urgência e emergência muita das vezes buscar anticoncepcional tirando a vaga de quem realmente esta precisando e que muita das vezes é nessa unidades de urgência ao qual eles procuram é que falta até o famoso captopril. E tenho a certeza que você nunca visitou o interior do Amazonas ou do Pará onde os médicos maioria das vezes são ameaçados com arma por que deixou passar um idoso,com sinais de ave, na frente de um paciente porque estava com diarréia. Aí caro colega, nessas condições de trabalho queria ver se te pagando 20.000 reais você iria trabalhar nesses lugares. Pra mim não basta só importar médicos e sim realizar um reeducação social.

  18. chaplin disse:

    A lógica segue a ordem e o assunto enfocado não receberia tratamento diferente dos demais pelos mesmos que controlam e dominam através do poder econômico.
    Burguesia(comércio) = negócio = reservas de mercado = poder. E o triste é que a grande maioria desinformada ou manipulada acredita em falácias produzidas pela propaganda burguesa sionista que chamam de democracia, liberdade, livre concorrência. Parabéns pela abordagem honesta, anárquica(pensamento livre) e verdadeiramente real. Só lastimar que são matérias “ilhas” que se perdem no meio de tanto lixo midiático.

  19. Tonhão disse:

    Ouvi que uma cidade do Norte está procurando médico por 30 mil por mês e não encontra. Acho que dez cubanos ocupariam este espaço e iriam trabalhar com muita tesão. Acham que estou exagerando ? Então, deixo por seis, quem sabe até cinco médicos cubanos com formação talvez bem superior aos que estão recusando os 30 mil. É a classe mais reacionária que temos no brasil. Sem dúvidas.

  20. Ricardo disse:

    Inacreditável, excelente texto. Chega de hipocresia. Dizer a verdade faz bem a saúde. Sim aos médicos cubanos.

  21. Diogo Terra disse:

    Quando fiquei sabendo dessa história, tive certeza: os lacerdinhas iriam espernear. Então, se eles “têm razão” em tudo, porque não vão para lá? Proponham algo melhor do que está sendo feito, do contrário vão continuar só enchendo o saco sem resolver nada. Isso vale pra tudo que o governo do PT vem fazendo, bem ou mal.

  22. Diogo Terra disse:

    É claro que esse raciocínio também vale para a pseudo-oposição a Fortunati e sua turma.

  23. denis disse:

    “Como é bom ler um artigo com bons argumentos” II.

  24. Gustavo disse:

    Devemos importar também jornalistas e articulista de Cuba! Tem muito mais cultura, são muito mais lógicos e não são à favor daquele regime estúpido de esquerda.

  25. Flavia disse:

    Parabéns pelo ótimo artigo! Conseguiu dizer tintim por tintim o que está em jogo na vinda de médicos cubanos ao Brasil.

  26. oscar rissieri paniz disse:

    Ótimo artigo e entre tantas questões lembra da qualidade, da formação, de nossos profissionais brasileiros, no caso os médicos. Houve uma reforma curricular nas Faculdades de Medicina do Brasil, recente é verdade, mas que tem demonstrado a relutância, principalmente dos professores destas instituições em aderirem ao novo currículo e com isso continuam a se formar profissionais de medicina muito mais voltados para o “mercado” do que para o exercício profissional em si. Parabéns pela lucidez e contribuição.

  27. Marcio Dreux disse:

    Ótimo artigo. Tão bom que muito dificilmente seria publicado em Zero Hora, Veja e afins, onde os Almeidinhas se alimentam…

  28. claudio roberto kochhann disse:

    Até que enfim um artigo consciente sobre questão médica.Chega de preconceito e zona de conforto.Apareceu vida e saúde na medicina.

  29. Francirlene Santos Queiroz disse:

    Li o artigo,que vale ressaltar é muito bom. É bom ouvir a opinião de quem fala com propriedade de causa,principalmente por ser o autor brasileiro.Me ajudou a ver de forma mais clara essa questão, e questionar se realmente o que está sendo colocado em primeiro plano é a preocupação com o povo pobre brasilleiro que será assistido por esses profissionais, em conjunto com a qualidade da medicina de Cuba ou se há outras preocupações em prioridade.Parabéns pelo belo artigo!

  30. Lucas Rocha Oliveira disse:

    Parabéns pela análise imparcial sobre o assunto. Muito útil a exposição do panorama aí da Europa. É difícil encontrar médicos por aqui que aceitem o tema dessa forma.

  31. Diego disse:

    Olha brother como todos, ou a grande maioria, não tem como não elogiar os pontos e argumentos expostos aqui. É claro que é perceptivel uma alienação e uma propagação de informações, talvez em grande parte, equivocadas como uma onda que só se propaga como muito do que ocorre na internet e principalmente nas redes sociais. Entretanto, apesar de achar a medida no mínimo interessante não vou sair defendendo bandeira ou achando que essa é A medida. Bom os motivos são pelo fato de que (e essa pra mim é a grande merda da politica brasileira que independe de partidos e se perpetua a decadas) essas medidas que inicialmente surgem apenas para que se possa resolver um problema que perdura por muitos anos enquanto se vai realizando as verdadeiras mudanças acabam se tornando as soluções definitivas, pois são mais baratas mas rapidas e çao correm o “risco” de passarem a funcionar com outro partido no governo. Não vou ser hipócrita aqui pois eu sou uma pessoa acomodada, mas nem por isso isso desqualifica algum argumento e me proibe ao menos jánao sair soltando fogos de artificio para essa medida.

    Acho que não é nem 8 nem 80, só acho que se aprovada ou não aprovada devemos continuar cobrando a melhora da assistencia a população de forma geral!

  32. Joao Campos disse:

    A medicina preventiva de cuba é ótima. Mas nada tem a ver com os médicos. Manter uma população discretamente subnutrida (por não conseguir produzir comida para todos) aumenta a sobrevida e reduz a quantidade de doenças crônicas em animais (google ajuda a achar referências). Médicos cubanos, portugueses, espanhóis, americanos, deuses, não importa… sem receber o pagamento combinado e sem a mínima condição de atender pacientes de forma minimamente igualitária a um centro pequeno, não farão nada de diferente do que tantos médicos brasileiros já tentaram. Fonte? Eu já fui um deles.

  33. Ricardo disse:

    O problema não são os médicos cubanos, e sim os nossos médicos mercenários. Atuam no serviço público e concorrem com eles mesmos na iniciativa privada. O médico do posto de saúde fica 40min e após vai para seu consultório particular faturar.

  34. João disse:

    Enfim consegui, encontrar uma opiniao de um medico, honesta sem preconceito, e dentro da realidade .

    ,

  35. vicente de paulo marques de almeida disse:

    Estou impressionado e feliz com este texto do Dr Pedro. Felizmente, ainda existem médicos lúcidos e conscientes do verdadeiro sentido de se praticar uma medicina para todos, principalmente para os menos favorecidos social e economicamente. Concordo com ele em gênero, número e grau, sobre tudo o que ele descreveu. Ficou também envergonhado pela grande maioria da nossa classe médica, com raríssimas exceções (ainda bem que existem algumas , infelizmente, poucas).

  36. Lucas disse:

    Duas perguntas ao Dr. Pedro. 1- Já exerceu medicina no interior do Brasil? 2- Concorda que a vinda dos cubanos ao invés de resolver o problema iria, tão somente, retardar sua solução. Uma vez que o principal problema aqui no Brasil são as condições materiais existentes. Por fim, gostaria de ver estes que criticaram, trabalhar em uma empresa falida que não dá sequer material para o trabalho.

  37. Chicó disse:

    DADOS:
    *Somente 7,5% dos médicos estrangeiros foram aprovados no revalida português. Foram 44 de 600 médicos!
    *A população brasileira está concentrada nas cidades, 89% e 11% no interior, 61% da população está no SUL-SUDESTE, as 100 maiores cidades brasileiras abrigam 40% da população do país, ou 77 milhões de brasileiros(são 5.800 municípios no país).
    *Quer dizer que no interior só faltam médicos? E por acaso os demais profissionais estão transbordando nessas localidades????? Por acaso sobram dentistas, policias, professores e juízes em todo o interior do Brasil? Sem falar em estradas, delegacias, escolas, e etc….
    Se 89% da população escolheu morar nas cidades por que um médico não pode?
    *Aqui um garçom do senado ganha 16.000 mensais, enquanto um médico do SUS ganha 8.000 e todo mundo acha isso normal?*Fala sério…..

  38. Silvana Canal disse:

    Parabéns ao senhor!!gostei muito do post! vemos que faltam muitos médicos no interior e nas periferias, só pode mesmo ser preconceito essa gritaria toda. Faltam médicos sim. E para o Chicó, acima, se um médico do SUS ganha 8.000, deve ser por algumas horas e não por 40 horas, como um professor, que ganha menos de 1.500 por 40 horas, ou um militar. Alguns médicos do SUS também tem consultórios, cobram 300,00 ou mais as consultas e não gostam de dar recibos para a gente descontar no I.R. Uma professora que trabalha os tres turnos para ganhar melhor, desconta IR na fonte, e quando consulta, a maioria dos médicos não atendem mais seu convênio (IPE) , paga a consulta com dificuldades e nem pode descontar no IR porque o médico não dá recibo. Isso do garçom, é lá em brasilia, não é o geral né!! Eu vejo o povo sofrendo por falta de médicos, então venham o quanto precisar.Parabéns pelo post, Dr. Pedro Saraiva

  39. Jaime Brosco disse:

    No Brasil já sabemos o que irá ocorrer… as operadoras de saúde vão continuar a pagar mau os médicos, o sus também e o governo vai rir dos médicos como sempre fez! quanto mais médico mais barato para o governo. quanto vale a vida do ser humano?

  40. Fernanda disse:

    Parabéns pela clareza e veracidade das suas colocações. Mas falar de Saúde,assim como Educação no Brasil(para ficar só nessas) é constatar a falta de planejamento,vontade política,seriedade…e por aí vai , impedindo que a classe médica,tenha a exemplo do magistério,e da magistratura, um”plano de carreira” que mesmo não sendo o melhor,permitiria encaminhar a todas as regiões esses profissionais,e embrenhá-los neste enorme país,que não tem muitos outros para ser comparado em termos de dimensões. “Importar” médicos de Cuba,Portugal,Espanha,é no mínimo estranho… principalmente porque nesses países não sobram esses profissionais,aqui tem muitos cursos e muitos médicos concentrados nos centros urbanos!…não há verbas,não há concursos,não se organizam ou são poucos os mutirões,como era o Projeto Rondom e outros, para levar profissionais formados e em formação, para conhecer e trabalhar nos locais mais distantes,pobres,abandonados…
    Igualmente os diferentes enfoques na formação médica,fazem diferença,como também as verbas destinadas a SAÚDE(inexistentes ou Vergonhosas migalhas)e por aí vai…a manutenção de hospitais,postos , material,salários…Penso que seria mais digno,correto e eficiente resolvermos com seriedade nossas mazelas sem cogitar”importações” principalmente de profissionais. Somos um país que ainda…em se plantando,tudo dá !….

  41. Joana disse:

    Muito engraçado essa jogada política da dILMA, médicos temos das melhores qualidades aqui no Brasil. O que nos falta são hospitais e centros de apoios para atender a população carente . Existe aqui no Brasil hospitais públicos que nem fios de sutura tem. Pacientes ficam no chão sobre papelões porque não tem macas. Isso o governo não fala. Agora escravizar os médicos cubanos por salários de misérias, isso sim, é o q que a Presidenta quer fazer. Nota ZERO para ela. E quanto ao portugueses>>> que levem os médicos Cubanos para Portugal >>>porque Cuba tá falida e quem está sustentando >>>somos nós brasileiros com altos impostos.

  42. NADJA WALESKA disse:

    Como é bom ler um artigo escrito por uma pessoa inteligente e desinteressada e principalmente que sabe interpretar os fatos. Que venham os medicos cubanos, americanos, chineses, franceses… O que importa é o que interessa…

  43. Matheus disse:

    Medicos cubanos de segunda classe pra atender as pessoas de segunda classe! Criar planos de carreira e fixação dos médicos que já estão aqui e melhorar as condições de trabalho e atendimento a população daria muito trabalho. Por isso também apoio! A sujeira deve ir ja pra debaixo do tapete! Soluções paliativas já!!!

  44. Heven disse:

    É médico, não mora no Brasil, não sabe nem ao certo o que está se passando por aqui! Então feche a boca! Se soubesse não falaria merda! O governo quer trazer médicos SOMENTE de CUba, quem leu o ridículo projeto da senadora Wanessa Graziotin PSTU-AM sabe que se trata somente de médicos de Cuba, não são CUBANOS, são de Cuba! Sabemos que o PT e afins mandaram durante todos estes anos, jovens militantes para Cuba afim de estudarem medicina. São esses a quem o governo quer, SEM REVLIDAÇÃO, SIM SENHOR!, trazer de volta ao Brasil, porque são pessoas dos partidos, são filhos de gente do partido, 2 filha de Wanessa Graziotin estudam ou estudaram lá. E agora o governo trama essa palhaçada pra fazer com que esses INCOMPETENTES retornem ao Brasil sem se submeterem ao Revalida!

  45. Heven disse:

    Só de vc dizer que a medicina Cubana dá um banho na medicina brasileira, já desconfio do seu desempenho profissional! Isso é uma ilusão, UMA MENTIRA, UMA CRETINICE!

  46. disse:

    Perda de tempo ler esse texto. Pelos comentários, percebe-se que a maioria dos que leram compartilham da visão deturpada e comunstoide imbecil que impera no governo do Brasil… Esse país não vai pra frente mesmo…

  47. Ricardo Goshima disse:

    Concordo em parte!
    Portugal tbém abomina dentistas brasileiros, estrangeiros!
    Como diz a prova da Revalida é difícil no Brasil, vc já viu ou presenciou pessoalmente o revalida para os dentistas em Portugal?
    É uma prova teórica e prática que é impossível de passar!
    Por isso muitos vão fazer faculdades por 3 anos e durante o curso sofrer humilhações de professores portugueses!
    Pelo jeito não esta informado disto!
    Pior o Brasil não faz exame de equivalência de advogados e agora talvez liberem para engenheiros, enquanto que em Portugal os brasileiros passam por mesma situação dos dentistas!
    Europa é tão ou mais racista que os Brasil!
    Parece que morando tanto tempo fora do país não se percebeu disto ainda!

  48. Ivando disse:

    Uma conversa mole e fora de propósito! Antes de se importar médicos e até para se avaliar a real necessidade de importá-los, vamos atualizar os leitos, os esparadrapos, algodão, fio para sutura e outros materiais básicos. Creia que temos médicos brasileiros que querem ir para o interior por 30 mil, não vão pois não têm estrutura para trabalhar. Se o RJ e SP são estas ‘M’ imagina o interior do Acre? Fora cubanos e outros!

  49. Nelson H B Silva disse:

    Tenho a certeza que esse Ivando é do sudeste e nunca pisou no interior do Brasil, e duvido que saiba onde fica o Acre. No Acre existem brasileiros que pagam impostos como todos os outros cidadãos.

    Mas vamos respeitar a direito de livre expressão, mesmo que não agregue nada.

  50. Luiz Chein disse:

    Está fazendo o quê em Portugal? Por que não ficou no Brasil e foi trabalhar no interior? Essa conversa de salário de R$ 30.000,00 é pura balela. E que autoridade moral tem esse governo pra falar em “critério de qualidade e responsabilidade profissional”? Eu trabalho há mais de 40 anos no interior do Brasil e tenho, por experiência própria, condições de opinar a respeito. Na medida em que a medicina sofreu os malefícios da “prefeiturização” da saúde, o que se viu foi o médico que presta serviço aos governos ser aviltado nos seus salários, ser submetido a condições indecentes de trabalho, sem a menor estrutura para exercer sua profissão e, muitas vezes, cobrados por seus gestores a prestar favores até mesmo políticos para continuarem em seu emprego. Por que o governo não paga salários decentes aos profissionais da saúde, instituindo planos de carreira e dando, ao final do seu tempo laboral, uma aposentadoria digna? Aposentei-me no mês de maio passado com benefício (?) de pouco mais de R$ 1.000,000 pelo meu município e pouco mais de R$ 2.000,00 pelo INSS. Enquanto isso, Deputados, Senadores, Governantes e os senhores togados vão pra casa com aposentadoria de marajás. Ah! Me poupem! As vaquinhas de presépio que ficaram babando com o artigo do doutor sabem quanto um médico do SUS recebe como honorários para realizar um Parto normal? Não? R$ 175,40, senhores. Sabem quanto recebe ele para levar uma paciente para a sala de cirurgia e assumir os riscos de realizar uma Cesariana? R$ 150,05. Uma consulta médica? R$ 10,00. Isto mesmo: R$ 10,00. É bom observar que em nenhum momento abordei assunto de importação de médicos cubanos. apenas fiz ver as indecentes condições de trabalho/salário de médicos brasileiros que trabalham para o governo. Estão satisfeitos ou querem que eu continue? Pra dizer a verdade, só não vou rasgar o texto do doutor porque, para isto, teria que quebrar meu IPad.

  51. artur disse:

    hugo chaves é o melhor “exemplo” da sensacional “medicina cubana”……..se em São Paulo talvez estivesse vivo!!!

  52. Josias Cavalcante disse:

    Muito bem Pedro Saraiva, que venham médicos cubanos, espanhóis e portugueses.
    Agora dou uma sugestão, venha com eles para ver a realidade brasileira. Acho que você com toda sua visão europeia se dará muito bem aqui, principalmente no interior. Ótimos ambulatórios e hospitais, equipe treinada com enfermeira e atendentes, medicamentos essências sempre à disposição, segurança total para o médico e acomodações cinco estrelas, isso sem falar na excelente qualidade de alimentação e transporte. E o salario ó, nem se fala.!
    Estamos lhe aguardando!

  53. Jose disse:

    O texto não condiz com a verdade. A verdade é que em outro países com Paraguai e Venezuela já receberam médicos de Cuba e nao deram certo devido a má formação destes profissionais.
    O nosso querido ministro da saúde nao realizará nenhuma prova apenas um acompanhamento de 3 semanas deste profissional . Além disso , estes médicos custarão aos cofres públicos r$ 22.000,00 mensais. Também não existe esta pontuação para progressão de carreira, pois não existe plano de carreira para médicos , a qual é a principal solicitação do conselhos médicos.
    É muito fácil implantar estas informações errôneas na população leiga. Sou medico especialista, atendo somente pacientes particulares e poucos Convenios e a vinda de médicos de outros países a mim nada mudara mas nao posso ouvir estas mentiras e nao relatar o que realmente acontece, é muito fácil falar estas bobagens sem nenhum compromisso de alguém que procurou outro pais para trabalhar, provavelmente porque também nao estava satisfeito com as condições de trabalho em

  54. Samantha disse:

    LEIAM o comentario do Doutor LUIZ CHEIN! Muito melhor que desse cara ai q nao sabe de nada e vem meter a boca onde NAO FOI CHAMADO!!!!!!!!! LEIAM, LEIAM, LEIAM!

  55. Maria disse:

    Prezado Dr. Saraiva,
    infelizmente, creio que o senhor desconheça a realidade dos hospitais em Cuba. Morei lá um período e conheço tanto a realidade das unviersidades quanto dos hospitais. Meu marido, inclusive, quase morreu em um deles. Além do diagnóstico errôneo, teve uma infecção hospitalar seríssima.
    Não sou médica, mas trabalho com educação universitária e vi, de perto, a precariedade das Universidades Cubanas.
    Gostaria também de informá-lo que em recente entrevista, o Ministro Padilha disse ter a intenção de trazer médicos estrangeiros que farão uma ambientação de 3 semanas. Não sei em que área o senhor atua em Portugal e nem se conhece a realidade do interior do Brasil, mas isso é inviável. A questão linguistica precisa ser levada em consideração, ainda mais se queremos levar os médicos para o interior para clinicarem e não para realizarem pesquisas em laboratórios.
    Além disso, o ministro também menciona o interesse em trazer médicos portugueses e espanhóis. E sei qual a lógica política que está por trás disso.
    A melhor Universidade Espanhola está na posição 205 do ranking mundial enquanto a melhor Universidade Portuguesa está em 351, posições bem inferiores a USP que é a 158 no ranking. Sem falar que as Universidades Cubanas sequer são listadas no ranking. Assim, caso estejam faltando médicos nesse país, o que não é o nosso maior problema, que tragam dos EUA, da Inglaterra, da Suíça .
    Uma última questão é não creio na lógica de que os médicos queiram reserva de mercado. Reserva de mercado para irem para Juazeiro trabalhar num cômodo sem equipamento e infraestrutura. Ah, e com salários atrasados e menores do que o proposto inicialmente? Não entendi.
    Infelizmente Dr. Saraiva, a realidade brasileira é bastante complexa e mesmo com a vinda de médicos estrangeiros não iremos sequer remediar os problemas que assolam o sistema de saúde do país. Convido-o a conhecer a triste realidade do SUS que em sua concepção como política pública social é o melhor do mundo, sendo referência em termos de proposta para vários países, mas que, não alcançou o êxito almejado por seus idealizadores.

  56. Elias Miguel disse:

    A questão de trazer médicos de Cuba vai mais além da medicina. Olhando pelo ângulo da saúde claro que um ato desse seria elogiável. Entretanto, o que podemos ver é que tudo isso tem a ver com política. Você já perguntou a um cubano qual a porcentagem que ele tem que devolver pro governo de Cuba? Lembre-se que Cuba é um governo comunista. Um profissional que sai de Cuba tem que pagar ao governo uma fatia gorda do seu salário, afinal está em missão oficial em outro país. Seria bom se os brasileiros refletissem melhor antes aprovar todas as insanidades do PT. Provavelmente o PT está pagando o financiamento da campanha eleitoral passada que como já se sabe teve o apoio financeiro de Cuba.

  57. [...] médicos no mundo, o sistema cubano foi bastante elogiado (conforme lembrou o médico Pedro Saraivahttp://www.sul21.com.br/jornal/2013/05/a-questao-da-vinda-dos-medicos-cubanos-para-o-brasil/). Apenas a idiotia incurável da revista “Veja” é capaz de condenar os sensacionais avanços [...]

  58. Vitor disse:

    Hoje 23 de setembro de 2013. Vejamos os fatos !!!! Não houve revalidação dos diplomas, o CFM,( que antes era coorporativista, entre outros adjetivos não publicáveis para os PTativistas), agora abriu as pernas para o Governo, os Conselhos perderam representatividade junto aos seus associados, não veio nenhum Portugues ou Espanhol, e mais recentemente desmascarado a fraude de diplomas estrangeiros em MT. Fico me perguntando, se ainda existe a pastoral da criança, pois estes não são Médicos e tratam diarréia e desnutrição. Sábios são aqueles que reconhecem os erros e assumem mudar de opinião.

Comentar

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.